Boletim CCBJ


A Câmara de Comércio Brasileira no Japão (CCBJ) mensalmente envia boletim eletrônico aos associados. O artigo de abril foi escrito pelo sócio da N3Plus, Kiyoshi Komamura. Ele abordou sobre as iniciativas para promover oportunidades de investimentos no Brasil.

Komamura foi diretor-presidente da JFE Streel do Brasil e fez parte do Conselho de Administração da Companhia Siderúrgica de Tubarão, MSG e NES.


Por Kiyoshi Komamura

Sócio de N3Plus Co., Ltd., conselheiro da Brastel Co., Ltd., diretor da Associação Central Nipo-Brasileira e consultor da CCBJ

 

Nestes últimos meses recentes, notamos que as iniciativas para promover oportunidades de investimento no Brasil estão ganhando mais fôlego. As vindas mais frequentes de entidades brasileiras ao Japão para organizar seminários para atrair investimentos podem ser vistas como um indicativo desta tendência. Provavelmente os sinais de mudança que têm surgido no Brasil devem estar por trás desse cenário. Esta circunstância sugere uma reflexão sobre a estratégia apropriada a ser aplicada em relação ao Brasil no ponto que este se encontra. Tenho a minha proposta, e para aqueles que tiverem um tempo disponível, gostaria de solicitar um pouco de atenção no texto que se segue. 


No mês passado, viajei a trabalho para o Brasil, onde visitei São Paulo, Manaus, Brasília e Rio de Janeiro. Cheguei no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, no dia 17 de março, quando o escândalo da “carne fraca”  ganhou as manchetes no jornais. No percurso da viagem, não me faltaram oportunidades para os “bate-papos” sobre a situação atual do Brasil. Foi com taxista, empresário de minas, jornalista, corretor bancário, administrador de fundo de investimentos, consultor empresarial, onde não é difícil imaginar, sem restrição, o quanto eles reclamavam da política, da economia e da falta de segurança. Um ambiente de desânimo, todos machucados por uma “Mais Outra”. Entretanto, senti no coração que realmente estava no Brasil. Sabem por quê? “Agora está ruim, mas daqui para frente vai melhorar”, esta foi a opinião da maioria. Neste país sempre prevaleceu uma cultura/ambiente onde encontramos esperança e expectativa em abundância (o que mais adoro). 


Pelo que eu entendi dos meus colegas do “bate-papo”, o plano ou os passos de sucesso do Brasil são os seguintes: 


O governo Temer vai cumprir o mandato e aprovar as leis para a reforma fiscal. Pode ser que o conteúdo não seja nota 10. Mas o importante é avançar. 

O próximo governo daria continuidade à direção da orientação que o governo Temer tentou seguir.

A economia brasileira vai ter uma clara recuperação entre 2018 e 2019, retomando assim o seu caminho de crescimento. 


Ao mesmo tempo, por um foco pessimista, é possível imaginar um outro cenário como: 


Uma ampliação da instabilidade política impossibilitando a implementação da reforma fiscal.

Extensão da recessão para um período mais longo, onde os indicadores econômicos cairão para um fundo de poço nos patamares ainda mais baixos.  



Esses dois possíveis cenários extremos nos fazem notar  que o Brasil vive um momento histórico. A meu ver, não seriam poucos os analistas que estariam sentido atração pela posição atual do Brasil. 

Acreditamos que este momento, em que ainda não se sabe se o Brasil vai sair ou não da recessão mais longa da história, se vai retomar ou não o seu caminho de crescimento, oferece inúmeras opções. Quanto maior a incerteza futura, maior é o valor das opções obtidas.


É possível fazer uma ampla discussão a respeito, mas não me parece interessante a ideia de tomar decisão imediata neste momento sobre investimentos (a sua execução ou não) no Brasil. Por que não buscar por opções? Não seria viável uma orientação no sentido de buscar opções para garantir o mínimo de preparo para tomar decisões no futuro?


Podemos implementar uma estrutura de monitoramento e preparar uma “base” que permita agir o mais rapidamente possível. Essas ações fazem parte da estratégia para obter opções, e ajudam a proporcionar flexibilidade e ampliam possibilidades para a administração. Além disso, esta também é uma oportunidade para empresas que já operam no Brasil para adquirir opções em  prorrogar, ampliar, reduzir, recomeçar, suspender, etc. suas atividades.  


Em “timings” de indícios de mudanças, existem chances (embora sejam acompanhadas de risco). Após o histórico de tantas expectativas sepultadas, imaginamos que não seriam poucos os que sentem somente insegurança para o futuro. No entanto, gostaria que lembrassem dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O nosso verde e amarelo não somente alcançou o sucesso, mas também encantou o mundo em uma nova dimensão de imaginação e criatividade tipicamente brasileiras. Nós acreditamos que o mesmo encanto explica as nossas expectativas para a política e a economia do Brasil. No nosso entender, é “timing” para adquirir opção Brasil. 


Existem sabedorias como: “Onde há vontade, há um caminho”. Gostaria de citar também o lema de uma usina siderúrgica brasileira: “Quem faz a história somos nós” . No Brasil presente, sentimos uma forte intenção que se traduz em “precisamos mudar”, e acreditamos que estamos compartilhando o início de construção de uma nova era maravilhosa. 


 Expectativa de como as opções podem aumentar o valor do empreendimento



(2)Exemplo de empresas que já iniciaram a garantir as suas opções

 

Com acordos de cooperação técnica firmados no ano passado, as empresas estão desenvolvendo

estudos para negócios



Campo: Agricultura, análise, negócios ambientais

JFE Techno-Research: análise, negócios ambientais

N3Plus: Consultoria especializada nas relações nipo-brasileiras


Divulge sua empresa.

Saiba mais..